Balão e papelão: física na prática para o 9º ano

Balão, caixa de papelão e mais algumas coisas tiradas da gaveta: é tudo o que precisa para fazer experimentos e aprender física na prática. Foi o que fizeram os alunos do 9º ano com o professor Fábio Raimundo.

3º A no Museu de Armas e Cruz e Sousa

A Turma do Zé do Perri , 3°B, do ensino fundamental, tem como um dos seus objetivos ao longo do ano conhecer  a história de Florianópolis visitando seus principais pontos turísticos e culturais entre eles, o Museu das Armas e o Museu Cruz e Sousa.

“hamburger da coruja”… a Turma da Noite (infantil D1) vai à cozinha

“Cookie da noite”, “hambúrguer da coruja”… estas são algumas das receitas criadas pelo Infantil D1, “A Turma da noite” no projeto Pequenos Gourmets. “Estamos trabalhando temas ligados à noite, em particular a Lua, os animais com hábitos noturnos, como lobos, corujas, morcegos e vagalumes, mas também as lendas sobre a noite”, disse a professora Letícia Montserrat. Aqui, um apanhado de algumas das atividades do projeto.

3º B visita o Forte de Santana

A Turma dos Exploradores, 3°B, do ensino fundamental, esta estudando a invasão espanhola no estado, por isso, como parte do projeto os alunos visitaram mais uma das fortalezas de Florianópolis, desta vez o Forte Santana, que fica na cabeceira da Ponte Hercílio Luz.

O Forte de Santana foi construído a partir de 1761, sua função era proteger a Vila de Nossa Senhora do Desterro, atual Florianópolis, das embarcações que adentrassem pela Baía Norte.

Ao longo do tempo, passou por vários usos e reformas, até sua restauração definitiva em 1969, que lhe devolveu as formas originais. Em 1938, foi tombado como Patrimônio Histórico e Artístico Nacional, abrigando desde 1975 o Museu de Armas da Polícia Militar de Santa Catarina.

3º B no Forte de Jurerê

A invasão espanhola em Santa Catarina é um dos temas que a turma dos Exploradores da Ilha (3° B) está estudando. Em junho, eles visitaram uma das fortalezas de Florianópolis, a de São José da Ponta Grossa, na praia de Jurerê, com Rodrigo Stüp, do Guia do Manezinho. Foi um banho de história, de diversão na área externa da fortaleza e a descoberta do trabalho das rendeiras e seus bilros.

“Foi muito legal porque os alunos puderam recriar o episódio da invasão espanhola, ficaram nos postos de observação do inimigo, entre os canhões e puderam usar toda a imaginação para interpretar o momento da chegada dos espanhóis em território portugues”, conta a professora Firmina Martins.

Fantasias do 2º B recriam personagens das historinhas

A Turma 1, 2, 3 era uma vez, 2° B, do ensino fundamental tem como projeto neste ano ler, contar, escrever e criar histórias. Em uma das atardes de atividades, eles literalmente “vestiram a camisa”: vieram fantasiados dos personagens do conto de fadas que foram lidos em sala.