,

Artistas da Semana de Arte Moderna de 1922 visitam a Escola

Heitor Villa-Lobos, Oswaldo Goeldi, Cecília Meirelles, na Escola da Ilha? Sim, encarnados nos alunos da 2ª série do Ensino Médio, eles circularam pelos corredores lembrando da semana de arte moderna de 1922. Vejam o registro fotográfico da experiência sugerida pelo professor Robson, de literatura. Leiam, também, a matéria sobre o projeto, em nosso portal.

,

Começo, meio e fim: as narrativas do 2º B

Para criar uma história – ou mesmo um bilhete – é necessário um começo, um meio e um fim. Pouco a pouco, os alunos do 2°B, a Turma “1,2,3 era uma vez”, foram entendendo como funciona uma narrativa e puderam criar suas próprias histórias. Eles começaram com histórias em quadrinhos, criadas em dupla, para depois elaborar histórias escritas, que serão apresentadas na coleção Pequenos Autores da Ilha. “Por meio desse trabalho, as crianças puderam aprender a relacionar o desenho e o texto”, explica a professora Kenia Marcon Belli.

Balão e papelão: física na prática para o 9º ano

Balão, caixa de papelão e mais algumas coisas tiradas da gaveta: é tudo o que precisa para fazer experimentos e aprender física na prática. Foi o que fizeram os alunos do 9º ano com o professor Fábio Raimundo.

3º A no Museu de Armas e Cruz e Sousa

A Turma do Zé do Perri , 3°B, do ensino fundamental, tem como um dos seus objetivos ao longo do ano conhecer  a história de Florianópolis visitando seus principais pontos turísticos e culturais entre eles, o Museu das Armas e o Museu Cruz e Sousa.

3º B visita o Forte de Santana

A Turma dos Exploradores, 3°B, do ensino fundamental, esta estudando a invasão espanhola no estado, por isso, como parte do projeto os alunos visitaram mais uma das fortalezas de Florianópolis, desta vez o Forte Santana, que fica na cabeceira da Ponte Hercílio Luz.

O Forte de Santana foi construído a partir de 1761, sua função era proteger a Vila de Nossa Senhora do Desterro, atual Florianópolis, das embarcações que adentrassem pela Baía Norte.

Ao longo do tempo, passou por vários usos e reformas, até sua restauração definitiva em 1969, que lhe devolveu as formas originais. Em 1938, foi tombado como Patrimônio Histórico e Artístico Nacional, abrigando desde 1975 o Museu de Armas da Polícia Militar de Santa Catarina.

3º B no Forte de Jurerê

A invasão espanhola em Santa Catarina é um dos temas que a turma dos Exploradores da Ilha (3° B) está estudando. Em junho, eles visitaram uma das fortalezas de Florianópolis, a de São José da Ponta Grossa, na praia de Jurerê, com Rodrigo Stüp, do Guia do Manezinho. Foi um banho de história, de diversão na área externa da fortaleza e a descoberta do trabalho das rendeiras e seus bilros.

“Foi muito legal porque os alunos puderam recriar o episódio da invasão espanhola, ficaram nos postos de observação do inimigo, entre os canhões e puderam usar toda a imaginação para interpretar o momento da chegada dos espanhóis em território portugues”, conta a professora Firmina Martins.