, , , , , , , , , ,

História, cultura e meio ambiente: 8º ano viaja a Curitiba

História, cultura, artes, ecologia… e um pouco de turismo e diversão. Este pode ser o resumo da viagem realizada pelos alunos do 8º ano a Curitiba, em agosto deste ano. Para saber mais sobre a viagem, publicamos o relato da professora Luana Pavesi Pera.

 

 

, , , , , , ,

Uirapuru, curupira e desmatamento: o 2º A descobre a Amazônia

O uirapuru existe e dizem que, quando ele canta, todos os animais se calam. Já o Curupira, é lenda. A maniçoba é um prato local feito da folha de mandioca, que tem que ser cozida durante dias para perder seu veneno. As crianças brincam no rio. E o desmatamento é uma ameaça real para os animais e os humanos. Estes são alguns dos aprendizados da turma dos Guardiões da Amazônia, 2º ano A do fundamental. Desde o início do ano, eles estudam a Amazônia sob vários aspectos e compartilharam alguns destes conhecimentos com seus colegas, no Encontrão, em julho.

 

 

, , , , ,

10 SÉCULOS EM 5 MINUTOS: o 7º ano e a Idade Média

Falar sobre os 10 séculos da idade média em menos de 5 minutos. Este foi o desafio lançado para as turmas do 7º ano. Cada grupo devia escolher um dos aspectos deste período – que durou do fim do império romano, no século V, ao Renascimento, no século XV – e apresentá-lo de forma teatral.

, , , , ,

IDENTIDADE E DIVERSIDADE: UM PROJETO BILÍNGUE DO 8º ANO

No Projeto Origem, proposto pelas professoras de francês e inglês da Escola, os alunos do 8º ano estão resgatando as suas origens, as línguas e as tradições das suas famílias. ˆEstamos buscando com isso construir uma geografia da sala em um ambiente de pluralismo, respeito à diversidade, empatia, trabalhando o conceito de multiculturalismo”, declara Raíssa Assine, professora de Francês da Escola da Ilha e da Aliança Francesa.

, , , , , ,

TODO DIA É DIA DE ÍNDIO

Dia 19 de abril foi comemorado o dia do índio. Três dias depois, representantes de todas as comunidades indígenas do país participam, em Brasília, do Acampamento Terra Livre, não para comemorar, mas para reivindicar, protestar, mostrar a sua luta diária pela sobrevivência.

Para eles, todos os dias é dia de índio.

, , , , , ,

DRONES NAS GUERRAS? ALUNOS CONTRIBUEM COM VITÓRIA DOS EUA NA ONU

Os alunos da Escola da Ilha contribuíram para uma vitória dos EUA no Conselho de Segurança da ONU: o uso de drones nos conflitos armados continua sem regulamentação.

Este é um dos resultados da simulação da reunião do Conselho realizada no último SIEM, evento organizado pelo curso de Relações Internacionais da UFSC. O evento simula reuniões de vários órgãos multilaterais, em particular a Assembléia Geral da ONU e seu Conselho de Segurança. A IX edição do evento bateu recorde de participação: mais de 1000 alunos inscritos, dentre eles 42 alunos da Escola da Ilha (mais de 1/3 dos Ensino Médio!), que se dividiram em 6 equipes, cada qual incumbida de representar um país em uma das reuniões simuladas.

Foi um banho de geopolítica, um aprendizado de estratégia, planejamento, expressão, negociação… Laura de Oliveira Lucas, da 2ª série, escreveu no seu Instagram: “Vai ser um dia eternamente lembrado por mim. Eu aprendi muita coisa, como lidar com situações que eu nunca tinha lidado antes, a ter mais empatia e noção sobre a necessidade de cada povo ou indivíduo em nosso mundo.”